segunda-feira, 29 de junho de 2015

VÍDEO: Dê Uma Volta no Williams FW13B de 1990


Grande vídeo da Williams, trazendo um verdadeiro "Driver's Eyes" para todos nós assistirmos, este é Alex Lynn á bordo da Williams de 1990, pilotada por Thierry Boutsen e Riccardo Patrese. Apreciem e se divertiam, recomendo assistir em 1080p, porque é fantástico...

Thierry Boutsen em Silverstone

sábado, 27 de junho de 2015

Fórmula E - Londres 2015 - Corrida 10


Finalmente chegamos ao último fim-de-semana da primeira temporada da F-E, a primeira categoria de automobilismo ecologicamente correta. Novos nomes, pelo menos para mim, estrearam nessa última corrida, entre eles Olvier Turvey, Simona de Silvestro, Sakon Yamamoto, Alex Fontana e Fabio Leimer.

Dias antes de tudo começar, o prefeito da cidade londrina foi dar uma volta no circuito de sua cidade, eu não sei o que ele achou, mas sinceramente não deve ter gostado nada das ondulações. Talvez essa é o pior local que a categoria tenha passada desde sua estreia, em quesito local quero dizer circuito, seu traçado e suas curvas são muito estreitas, além de uma reta que poderia servir de rampa de motocross...


Nos treinos, Sebastien Buemi não quis perder tempo para largar na frente, e marcou um tempo de 1:24.648, quase meio segundo mais rápido do que Jerome d'Ambrosio. Na segunda fila, os dois principais brasileiros, começando por Lucas di Grassi e indo para Nelsinho Piquet. Fechando o TOP TEN, Jean-Éric Vergne, Nicolas Prost, Olvier Turvey, Bruno Senna, Sam Bird e Salvador Duran.

No resto do grid, Loic Duval, Nick Heidfeld, Daniel Abt, Stephane Sarrazin, Karun Chandhok, Simona de Silvestro, Sakon Yamamoto, Alex Fontana, Fabio Leimer e Jarno Trulli. O italiano deveria largar em 15º, mas tinha uma punição de 5 posições vinda da última corrida. No mesmo dia, sábado teríamos a primeira rodada dessa prova, e no domingo a segunda e última, fechando a primeira temporada.


Percebendo-se que a primeira curva era muito perigosa, decidiram que a largada seria feita com o Safety Car, sem dúvida perdendo toda a graça de uma largada parada. Algumas estrelas estavam por lá, incluindo Antonio Bandeiras, e até mesmo Patrick Head. O início da corrida, como eu disse, foi com o SC, mas logo depois que a prova verdadeiramente começou, Buemi aumentou a diferença para d'Ambrosio.

Nelson Piquet Jr não estava querendo esperar, e logo tentou fazer a ultrapassagem em cima de di Grassi, que não facilitou, resultando no toque de ambos. coisa que beneficiou Jean-Éric Vergne, que atacou Nelsinho e passou pelo piloto da China Racing. Voltas depois, o francês estava colado em cima de Lucas, que tomou um susto do piloto da Andretti, quando ele travou os freios quando tentava passa-lo, coisa que conseguiu.


Chegaram agora a hora das paradas. Todos pensavam que di Grassi pararia uma volta depois, mas, percebendo a aproximação do compatriota, decidiu para na mesma volta dele. Uma volta depois, Sebastien Buemi fez sua parada, sem enfrentar problemas e voltando na primeira colocação, tendo d'Ambrosio, Vergne, di Grassi e Piquet Jr logo atrás.

Bruno Senna fazia uma ótima corrida, mas foi penalizado por excesso de velocidade nos boxes, caindo de 7º para 17º. Daniel Abt começaria ter problemas, e ser ultrapassado por uma fileira de quatro carros, e logo depois acabou errando e batendo na última curva, provocando mais um Safety Car, que poderia animar a corrida em suas últimas voltas, já que os pilotos poderiam usar toda a carga de suas baterias.


Na mesma volta do acidente do alemão, Yamamoto acabou abandonando. A prova foi reiniciada, agora com todos juntos, dificultando um pouco a corrida de Buemi, que foi pressionado pelo belga da Dragon, que por sua vez era pressionado por Vergne.

Mais atrás, Lucas di Grassi tinha que enfrentar mais uma vez o ataque do compatriota, que depois de desperdiçar um fan boost, teve que segurar a 5º colocação enquanto era pressionado por Sam Bird. Nada mudou, e o suiço comemorou mais uma vitória na categoria, sua terceira, enquanto d'Ambrosio e Vergne fecharam o pódio depois de fazer uma ótima corrida.


RESULTADOS:

  1. Sébastien Buemi - e.dams Renault - 47:54.784 - 28pts
  2. Jerome d'Ambrosio - Dragon Racing - +0.939s - 18pts
  3. Jean-Éric Vergne - Andretti - +1.667s - 15pts
  4. Lucas di Grassi - Audi Sport ABT - +2.409s - 14pts
  5. Nelson Piquet Jr - NEXTEV TCR - +7.370s - 10pts
  6. Sam Bird - Virgin Racing - +7.762s - 8pts
  7. Nicolas Prost - e.dams Renault - +8.553s - 6pts
  8. Loic Duval - Dragon Racing - +9.507s - 4pts
  9. Oliver Turvey - NEXTEV TCR - +10.032s - 2pts
  10. Stephane Sarrazin - Venturi - +12.077s - 1pt
  11. Simon de Silvestro - Andretti - +15.946s
  12. Karun Chandhok - Mahindra Racing - +35.595s
  13. Nick Heidfeld - Venturi - +41.034s
  14. Fabio Leimer - Virgin Racing - +42.697s
  15. Jarno Trulli - Trulli - +43.273s
  16. Bruno Senna - Mahindra Racing - +48.423s
  17. Salvador Duran - Amlin Aguri - +1:01.987s
  18. Alex Fontana - Trulli - OUT
  19. Daniel Abt - Audi Sport ABT - OUT
  20. Sakon Yamamoto - Amlin Aguri - OUT
Esses foram os pilotos que participaram da corrida
Volta Mais Rápida: Lucas di Grassi - 1:28.229 - Volta 25


  • MELHOR PILOTO: Sébastien Buemi / Jean-Éric Vergne
  • SORTUDO: Sam Bird
  • AZARADO: Bruno Senna
  • SURPRESA: N/H
Buemi e Vergne foram os nomes da corrida, o suiço dominou o sábado, fazendo pole e vencendo facilmente, enquanto o francês deixou para trás dois dos três postulantes ao título. Sam Bird fez uma boa prova, se beneficiando aos poucos da punição de Bruno e do SC. Já Senna, ele tinha tudo para ganhar bons pontos, mas acabou acelerando demais no lugar errado...


Campeonato de Pilotos:
  1. Nelson Piquet Jr - NEXTEV TCR - 138pts
  2. Sébastien Buemi - e.dams Renault - 133pts
  3. Lucas di Grassi - Audi Sport ABT - 125pts
  4. Jerome d'Ambrosio - Dragon Racing - 95pts
  5. Nicolas Prost - e,dams Renault - 88pts


Campeonato de Equipes:
  1. e.dams Renault - 221pts
  2. Audi Sport ABT - 157pts
  3. NEXTEV TCR - 144pts
  4. Dragon Racing - 138pts
  5. Andretti Formula E - 119pts
Imagens tiradas de motorsport.com

sexta-feira, 26 de junho de 2015

A História de Nürburgring - Parte 7 - O Começo de Uma Era

O Adeus de Nordschleife á Fórmula 1

Finalmente volto á falar dessa pista sensacional (ou melhor, como a propaganda da VW, salsichonal). Agora, depois de já saber que dificilmente sediaria uma corrida da F-1 novamente, a pista teria que sobreviver sem as principais provas de todo o automobilismo. Mais uma vez, depois de 1970, Hockenheimring sediaria a categoria...

Mas a cidade de Nürburg não queria perder essa chance de mostrar ao Mundo á imponência de seu circuito, especialmente em uma época que as transmissões de TV aumentava pelo globo todo. Depois de saber que nem as provas de motocicletas receberia, em 1980, logo eles perceberam que teriam de agir para voltarem ao cenário mundial.


Em 1981, decidiram fazer a construção de um novo circuito, no lugar dele, o abandonado Sudschleife, que já estava sem receber muitas corridas há anos. O antigo box foi destruído, e o anel norte acabou sendo a mais afetado com a construção, sendo substituído pelo novo Suds. E o que sobrou do antigo traçado? Quase nada, a maior parte se tornou estada e outras estacionamentos, mas há um lado bom, pelo que sei, desde 2005 há corridas por lá mesmo, de carros antigos, ou vintages, se quiser falar assim...


Com essa demolição, havia-se concretizado dois recordes: Jacky Ickx, á bordo de uma Ferrari Dino 166, na Fórmula 2 em 1968, marcou um tempo de 2:44.0; e Louis Chiron á bordo de um Bugatti Type 35C, em 1929, marcou um tempo de 15:06.1 no Gesamtstrecke. Assim acabara qualquer chance de vermos alguém superar essas duas lendas do automobilismo. Mas havia também outro recorde que seria quebrado.

Com uma reforma também no anel norte, o circuito perdeu seis curvas, enquanto Clay Regazzoni ficou com o nome marcado, já que conseguiu, numa Ferrari 312T, de 1975, um tempo de 7:06.4. Agora, com quase tudo pronto, começaríamos a ver novos grandes tempos surgindo, seja no novo circuito como também no mais famoso dos anéis, o Nordschleife.


As provas nacionais, e também os 1000Km de Nürburgring ainda continuavam á acontecer, e em 1983 acabariam fazendo sua última prova antes do fim das obras no novo Sudschleife. Nessa edição, gente conhecida estava por lá, entre eles: Jochen Mass, Jacky Ickx, Stefan Johansson, Keke Rosberg, Jan Lammer, Jonathan Palmer, Oscar Larrauri, Nobert Haug, Riccardo Patrese, Michele Alboreto, Paolo Barilla, Piercarlo Ghinzani, Derek Bell, Stefan Bellof, Hans-Joachim Stuck, Walter Brun e Vic Elford.

Poucas equipes não era alemães, por isso o favoritismo dos pilotos da casa, que um dia antes da corrida viram algo fantástico acontecer, uma coisa que dura até hoje. Stefan Bellof marcou o tempo de 6:25.91 com seu Porsche 956, entrando para a história. O alemão corria ao lado de Derek Bell, que viu o companheiro errar na corrida e acabar batendo... Os vencedores foram Jochen Mass e Jacky Ickx á bordo de seu Porsche 956, com 44 voltas completadas.


O novo circuito terminou sua contrução, tendo todos os requisitos de segurança exigidos, mas isso, para muitos, simplesmente destruiu a história de Nürburgring. A distancia dos espectadores para a pista não agradou muitos antigos fãs da pista, que ainda queria ver ultrapassagens, coisa que, segundo eles, o novo GP-Strecke não permitia, não tendo o mesmo desafio do irmão mais velho.

No dia 12 de maio, uma grande corrida acontecia, na comemoração de sua inauguração. Infelizmente, Juan Manuel Fangio deu apenas algumas voltas, não participando do evento principal como seu ex-companheiro Hans Herrmann. Todos os pilotos chamados correriam com um Mercedes 190, para finalmente marcar a inauguração do circuito, que foi feita com pista molhada.


Nos treinos, uma cena interessante, Jacques Laffite se atrasou e acabou não conseguindo tempos, largando em último. A pole era de Alain Prost, com Ayrton Senna em segundo, mostrando que poderia vencer a corrida. Pena que eles não incluíram uma volta no belo Nords, mas tudo bem... A corrida começou, e logo dois pilotos começariam a se destacar, eles eram Niki Lauda e Ayrton Senna, que travaram uma bela batalha até o fim da corrida, que foi vencida pelo brasileiro.


A classificação final foi:

  1. Ayrton Senna - Brasil - 26:27.780
  2. Niki Lauda - Áustria - +1.380
  3. Carlos Reutemann - Argentina - +3.690
  4. Keke Rosberg - Finlandia - +4.200
  5. John Watson - Irlanda do Norte - +4.470
  6. Denny Hulme - Nova Zelândia - +6.350
  7. Jody Scheckter - África do Sul - +7.120
  8. Jack Brabham - Austrália - +13.470
  9. Klaus Ludwig - Alemanha - +18.490
  10. James Hunt - Grã-Bretanha - +19.680
  11. John Surtees - Grã-Bretanha - +25.390
  12. Phil Hill - EUA - +32.060
  13. Manfred Schurti - Liechtenstein - +37.000
  14. Stirling Moss - Grã-Bretanha - +37.650
  15. Alain Prost - França - +39.340
  16. Udo Schütz - Alemanha - +48.130
  17. Jacques Laffite - França - +51.110
  18. Hans Herrmann - Alemanha - +1:37.100
  19. Elio de Angelis - Itália - +2 Voltas
  20. Alan Jones - Austrália - OUT


No fim desses resultados quero falar sobre algumas coisas, entre elas a idade de alguns, a habilidade, especialmente na chuva, e pelo que fez. Sem dúvida foi uma exibição terrível de Alain Prost, mas não só por isso devemos tirar sua genialidade, afinal, disputava "pau-a-pau" com Ayrton na pista seca. Já Alan Jones pagou um mico maior ainda, sofrendo a primeira quebra do novo circuito. Um piloto que mostrou sua força foi Ludwig, que venceu 3 vezes as 24h de Le Mans além de ser várias vezes campeão em categorias alemãs.


O duro é ver certas pessoas afirmando que Keke Rosberg é um dos piores pilotos a ser campeão do mundo, muito pelo contrário, é um dos mais monstruosos a ter esse título, especialmente pelo seu estilo agressivo de corrida, nessa prova podemos ver que ele tem um talento inegável. Outro que para muitos não fez nada é John Watson, que na minha opinião, devia ser campeão pelo menos uma vez, simplesmente porque dominava Lauda na McLaren. Além disso, deu vários shows vindo lá de trás, e muitas vezes vencendo nessas adversidades.

Alguém como Ickx não devia ter faltado por lá...

Reutemann também mostrou seu talento, também se aproximando da disputa Lauda x Senna, mas acabou não tendo tempo para entrar na festa. Quem merece os meus parabéns é Denny Hulme, Jack Brabham, John Surtees, Stirling Moss, Udo Schütz e Hans Herrman, que tinham (ou iam fazer), na época, 48, 58, 50, 55, 47 e 56 anos de idade, respectivamente.

Sentimos falta de alguém? Sentimos, até de alguns nomes póstumos na época, como Jochen Rindt, Jim Clark, Graham Hill e Wolfgang von Trips. Mas também há outros pilotos, que deviam estar nesse circuito nesse dia, eles eram Stefan Bellof, Nelson Piquet, Jackie Stewart e Jacky Ickx, e talvez alguns outros como Riccardo Patrese...


Sentindo falta ou não, estavam abertas, oficialmente, as provas no novo GP-Strecke, que passaria a receber várias categorias, como a Fórmula 1, corridas da DTM, de motos, caminhões, carros antigos, os 1000Km de Nürburgring, e até mesmo o famoso show "Rock am Ring", que mobiliza milhares de espectadores...

Esse era o começo de uma nova Era, na tentativa de esconder e esquecer o passado, o circuito acabou sendo mais lembrado ainda pelas suas corridas no Nords e no Suds, e agora, todos teriam de se contentar com o novo traçado, no lugar de uma das pistas com uma das histórias mais tristes do Mundo. Infelizmente, mesmo durante a construção, pessoas morreram no circuito, eles foram Herbert Müller, Corrado Antonello, Joramn Nevala e Klaus Bierth...

Adeus, Sudschleife

Imagens tiradas do Google Imagens

Quer Acompanhar o Festival de Goodwood?


Você quer? Eis um ótimo link que encontrei para acompanhar tudo ao vivo, durante todo esse fim-de-semana, com carros e pilotos de outras épocas além dos atuais, é claro. Carros, motos e várias outras coisas para você acompanhar até domingo, então, se não tiver nada para fazer, acabou de encontrar uma...


quinta-feira, 25 de junho de 2015

Coluna Semanal 24# - Surpresas no Pódio - Parte 9

Restos do acidente de Dan Gurney, que conseguiu sobreviver
para se tornar um dos mais famosos estadunidenses da Fórmula 1

Chegamos á parte 9 das surpresas que apareceram no TOP 3, coisa, que como eu disse semana passada, nem sequer esperava. Agora estamos na década 50, o Mundo mudava, tentando se reerguer e limpar as feridas da II Guerra Mundial. Os esportes eram sem dúvida o principal meio de diversão da população, tendo o futebol e o automobilismo como os maiores. No futebol, a Hungria acabou perdendo para os alemães em 1954, enquanto o Brasil conseguiu se recuperar do Maracanazzo e ser campeão na casa dos suecos. Já na F-1, Juan Manuel Fangio domina numa década de tristeza, muitas mortes, que destruíram prováveis futuros campeões, e até pilotos já consagrados.

Dessa vez, tem tantas surpresas, que só teremos a parte final daqui a duas semanas, ou seja, três semanas de surpresas da década de 1950, afinal, um dos grandes motivos é que antigamente podia revezar o carro com o companheiro, a ponto de mudar até a história do Campeonato.

Allison Dá Show e Supera os Ponteiros
"Tá com sede Harry? Vê se bebe logo essa água...

Cliff Alinsson, quando esse nome veem á cabeça lembramos dele ser o primeiro piloto da Lotus a marcar pontos. Já pela Ferrari, em 1960, o britânico se classificou na 7º colocação para o GP da Argentina. Na corrida, o britânico deu show e conseguiu superar Phil Hill, Jo Bonnier, Innes Ireland e Wolfgang von Trips, que largava á sua frente. Nessa prova, algo de inusitado aconteceu, já sendo proibido, Moss e Trintignant revezaram o carro, e ainda terminaram em terceiro, mas eles não foram DSQ, e sim apenas perderam seus pontos. Deu na mesma...

A Primeira Vez de Ireland e Hill

Esse Hill que estou falando é o Graham. Ainda nas primeiras temporadas, ambos conseguiam andar bem em várias corridas, mas ainda não tiveram a chance de subir ao pódio, e essa chance chegou, no GP da Holanda de 1960. Ambos largavam entre os 5 primeiros, com isso ficou fácil supera-los e ter sorte para subir ao pódio. Ireland foi o segundo, com Hill em terceiro, conquistados graças aos abandonos, mas também eles conseguiram deixar para trás o pole position, nada menos nada mais do que Stirling Moss.

1960, O Ano das Primeiras Vezes

Depois de citar o primeiro pódio de Innes e Graham, chegamos ao GP da Grã-Bretanha, que veria o surgimento de uma nova sensação do automobilismo, vindo do motociclismo, isso mesmo, o único a ser campeão em ambas, John Surtees. O britânico foi apenas o 11º nos treinos, e as expectativas para a prova não eram uma das motivantes, mesmo assim ele conseguiu superar vários pilotos que tem nomes gravados na categoria como Innes Ireland, Bruce McLaren, Tony Brooks, Wolfgang von Trips, Dan Gurney e Jim Clark...

A Primeira Vitória da Suécia

Quando falamos em Suécia na categoria, lembramos sempre de Ronnie Peterson, ás vezes de Stefan Johansson, raramente de Gunnar Nilsson, e quase nunca de Joakim Bonnier. Apelidado de Jo, Bonnier conquistou uma única vitória, e também um único pódio, ou seja, seus principais momentos foram no GP da Holanda de 1959, dominado por ele, de ponta a ponta com uma BRM, contra as fortes Coopers...

Show de von Trips Nas Retas de Reims

Reims-Gueux, um grande circuito conhecido pelas suas retas e também pelo seu formato quase triangular, acho que merece ter sua história contada daqui á algum tempo. Com a própria Scuderia Ferrari, Wolfgang von Trips havia subido ao pódio apenas uma vez, e jamais marcara pontos além desses, por isso deveria mostrar trabalho para Enzo Ferrari senão seria demitido. No GP da França de 1958, o alemão largou na terrível última colocação, enquanto Hawthorn, um de seus companheiros, largou na pole. Infelizmente, Luigi Musso perdeu a vida na corrida, mas ela também deve ser lembrada pelo show de von Trips, que conseguiu um grande terceiro lugar após superar pilotos da estirpe de Fangio e Collins...

Um Ano Difícil Para Jean Behra

Jamais venceu uma corrida, mas era um dos que mais merecia pelo seu histórico de azar. Correndo pela BRM em 1958, o francês enfrentava uma "seca" de nenhuma prova terminada, mesmo conseguindo uma bola qualificação, ele não conseguia repetir o mesmo feito na corrida. Mas tudo deu certo para ele em Zandvoort. Depois de largar em 4º, Jean conseguiu se manter na pista e não se meter em confusões para conquistar aquele que seria seu último pódio.

Domínio Italiano, Mas Não da Ferrari

A temporada de 1957 começara, e a Maserati estava começando a sentir como é ser a melhor marca do mundo. Superando a rival Ferrari, a equipe de Modena tinha grandes pilotos seu dispor, além de um que havia participado só de uma corrida, válida para a F-1, fora da Argentina, o argentino Carlos Menditeguy, que largou em 8º numa corrida de 14 carros, todos da Scuderia e da Officine. Correndo em casa, Carlos conquistou um terceiro posto, dominando a prova ao lado dos companheiros da Maserati, que formaram um 1-4...

Mais Uma de von Trips

Antes de dar show na França, o alemão voador fez suas paradas na Itália, ainda no ano de 1957. Depois de largar em 10º, na frente até de pilotos como Hawthorn e Musso, que também estavam á bordo de uma Ferrari, Wolfgang fez uma corrida consistente, sem erros em busca de seu primeiro pódio, que veio, com o terceiro posto conquistado ao fim das imensas 85 voltas completadas por ele em Monza...

Gregory Tem Sorte, e Conquista Seu Primeiro Pódio

Já citei o exemplo de Giancarlo Baghetti, que conseguiu três vitórias consecutivas nas suas três primeiras corridas com um carro de F-1, agora vemos Masten Gregory, estadunidense que ganhou poucos pontos, mas a maior parte deles de boa forma, com 3 pódios, seu primeiro conquistado logo no seu GP de estreia, em Mônaco, coisa que ajudou. Na época, as 105 voltas do GP monegasco era a prova mais desafiadora ao lado da Indy 500, perdendo apenas para as 24h de Le Mans. Largando em 10º, com um carro da Maserati, Gregory escapou de acidentes, problemas e resistiu ao desgaste físico, e conseguiu um terceiro lugar entre os 6 pilotos que terminaram.

O Único Pódio de Frère

A corrida seria marcante para três dos quatro pilotos que terminaram entre os primeiros. Collins finalmente liderou alguma corrida e ainda conquistou a primeira vitória, já Cesares Perdisa conquistaria o segundo e último pódio de sua carreira, ambos tendo o seu carro divido. Já Paul Frère, belga correndo em casa, conquistaria seu único pódio após largar em 8º num grid de 16 pilotos, e ainda superar pilotos que largaram na sua frente, como Schell e Behra...

O Pódio de Alfonso de Portago

O piloto que tem o maior nome que já passou pela categoria foi Alfonso Antonio Vicente Eduardo Angel Blas Francisco de Borja Cabeza de Vaca y Leighton, que é mais famoso pelos seus feitos em outros esportes, mas mesmo assim não deixou escapar a chance de escrever o nome na categoria. No GP da Grã-Bretanha, vários pilotos se inscreviam só para correr aquela corrida, isso não era o caso de de Portago, que assinou com a Ferrari para as últimas provas. Depois de dividir o carro com o talentoso Peter Collins, o espanhol comemorou seu único pódio ao fim de 101 voltas.

A Primeira Conquista de Musso

Luigi Musso conquistou sua primeira vitória depois de dividir o carro com Juan Manuel Fangio, no GP da Argentina de 1956. Depois de largar em 3º, Musso se manteve perto dos lideres, mas sem estar nenhuma vez na ponta, coisa que Fangio conseguiu fazer depois do abandono de Moss e Menditeguy. A corrida também foi a última disputada por Chico Landi e Alberto Uria...

Obrigado por ler, semana que vem tem mais...

Imagens tiradas do Google Imagens

quarta-feira, 24 de junho de 2015

GP Memorável 49# - Leste dos EUA 1984


Apenas uma semana depois do GP do Canadá, o circo estava mais uma vez em Detroit, uma cidade que tinha um péssimo traçado, que ruas estreitas, sujas, esburacadas e cheias de bueiros. Quem estava animado para a prova eram os pilotos com motor aspirado, Martin Brundle, Stefan Bellof, Marc Surer e Huub Rothengatter, que teriam, primeiro, superar os problemas de enfrentar os potentes turbo nos treinos.


Três pilotos retornava ao grid, Teodorico Fabi finalmente correria pela Brabham novamente, enquanto Jonathan Palmer voltava para a RAM depois de correr as 24 Horas de Le Mans. E por último, mas não menos importante, Patrick Tambay, ainda sentindo dores, voltava para correr com sua Renault. Os 27 inscritos não eram suficientes para caber no grid, por isso um coitado teria que correr apenas na sexta e no sábado.

Nelson Piquet manteve a boa forma e fez um grande tempo, 1:40.980, superando Alain Prost. Na segunda fila, Nigel Mansell surpreendia a todos com sua Lotus, tendo Michele Alboreto, Elio de Angelis e Derek Warwick logo atrás. Ayrton Senna conseguiu um belo 7º lugar, na frente de pilotos da estirpe de Eddie Cheever, Patrick Tambay e Niki Lauda, que fechavam o TOP TEN.


Martin Brundle deu show nos treinos, marcando um tempo "apenas" 2.774s mais lento do que Nelson Piquet. O britânico estava na frente de Andrea de Cesaris, Thierry Boutsen, Manfred Winkelhock e até de René Arnoux, que fez uma péssima qualificação, ficando apenas em 15º. Stefan Bellof era 16º, com Johnny Cecotto e François Hesnault logo atrás.

Agora viam duas surpresas, uma pequena e outra grande. Jacques Laffite era 19º, e Keke Rosberg o 21º, entre eles Philippe Alliot conseguiu ser mais rápido á bordo de uma RAM Hart do que um campeão de Williams Honda. Os últimos qualificados eram Marc Surer, Teo Fabi, que fez um péssimo treino, coisa muito diferente de seu companheiro, Jonathan Palmer, Riccardo Patrese, outro que teve um sábado de esquecer e Piercarlo Ghinzani.


O único não qualificado foi Huub Rothengatter, com sua Spirit o holandês foi 8.975s mais lento do que Nelson, que viu um belo sol no domingo. Na largada, nem Piquet nem Prost conseguem pular bem, mas sim o Leão Nigel Mansell, que tenta colocar no meio dos dois, mas, sem espaço, acaba tocando no brasileiro, e logo depois em Alboreto, que ainda foi atingido pelo piloto da Brabham, que teve seu carro totalmente destruído. Senna acabou sendo atingido pelo pneu do compatriota, que ainda foi tocado por Surer.

No final, Michele Alboreto, Nigel Mansell, Nelson Piquet, Ayrton Senna e Marc Surer havia danificado seus carros. Todos eles, menos o suiço, tinham um carro reserva, e com isso conseguiram voltar para a corrida, que foi reiniciada. Agora, tudo correu bem, com Piquet largando bem dessa vez, seguido por Prost, Mansell, Alboreto, Cheever, Warwick, de Angelis, Lauda, Tambay e Ayrton Senna, que largou muito mal.


Ainda na primeira volta, Manfred Winkelhock explode seu motor BMW, e alguns minutos depois foi a vez da RAM de Palmer abandonar com um furo no pneu. René Arnoux acabaria fechando seu péssimo fim-de-semana com um encontro com o muro. Na terceira volta, dois pilotos desistirão da corrida por causa de um acidente envolvendo ambos, Ghinzani tocou em Hesnault na curva três, o italiano até tentou voltar, mas ele tinha problemas na suspensão.


Derek Warwick foi para cima de Alboreto, e conseguiu assumir a quarta posição. Logo depois, Eddie Cheever passou por ambos e já era o quarto, há poucos segundos de Prost, que havia perdido a 2º colocação para Mansell. A disputa da corrida estava do 7º posto para trás, com Niki Lauda, Patrick Tambay, Ayrton Senna, Thierry Boutsen, Stefan Bellof, Martin Brundle e Keke Rosberg.

Senna era o mais lento da fila, segurando o belga, que anos mais tarde se tornaria seu amigo, e também o atrapalhando o bastante para Bellof fazer uma bela manobra e passar por ele. Alain Prost parou com problemas, mas voltou na pista, deixando Eddie Cheever na terceira colocação, e colocando Niki Lauda nos pontos.


Boutsen passou pelo alemão, que ainda perdeu a posição para seu companheiro. Keke Rosberg vinha escalando o pelotão, e na volta 22 já estava atrás de Boutsen. Ayrton Senna, que havia perdido posições, estava sendo pressionado por Bellof, que antes de tentar ultrapassar o brasileiro, viu ele errar na primeira curva, batendo e machucando a perna direita, mas nada de muito grave.

Antes do brasileiro, Riccardo Patrese já havia rodado também, e na mesma volta do acidente do pilto da Toleman, a outra Alfa abandonou, Eddie Cheever havia perdido o motor quando o pódio era quase certo. Nas voltas seguintes, vários abandonos aconteceram, Johnny Cecotto teve problemas na embreagem, Andrea de Cesaris havia tido problemas de aquecimento, já depois de furar o pneu. Boutsen perdeu o motor BMW na volta 27, a mesma que Nigel Mansell abandonou com problemas na caixa de câmbio, lá se ia a chance do britânico de vencer pela primeira vez.

Nomes da corrida? Martin e Stefan

Quem dava show era Brundle e Bellof, que ainda estavam sendo beneficiados pelos abandonos e pelas paragens de Prost e Warwick, mas eles ainda deveriam parar por causa do peso. Brundle foi o primeiro, na volta 33, e na tentativa de se aproximar do companheiro, Bellof acabou batendo na última curva, perdendo a suspensão traseiro, ás vezes o alemão ia tão ao limite que acabava encontrando o muro.

Na mesma volta, Niki Lauda abandonou com problemas elétricos, Philippe Alliot com os freios, e Patrick Tambay com a transmissão também abandonaram. Martin Brundle conseguiu passar por Alain Prost, que estava cheio de problemas, enquanto Derek Warwick era o mais rápido da pista. O britânico revezou a terceira colocação com Elio de Angelis até abandonar na volta 40.

poeticsofspeed.com

Keke Rosberg fazia uma grande prova, sendo 5º, mas toda sua alegria acabou quando o seu motor Honda "abriu o bico". Agora, quem ingressava nos pontos era Jacques Laffite, coisa rara naquela temporada, que foi cheia de problemas para o velho francês. Aproximava-se as últimas voltas, e com todos os carros tendo problemas aos poucos, havia o temor de ninguém terminar.

Quem estava mais "inteiro" era Martin Brundle com sua Tyrrell Ford, a ponto de conseguir passar facilmente Elio de Angelis, que era um dos mais lentos. O britânico agora era o terceiro, mas logo começou a comemorar quando Michele Alboreto parou com problemas no seu motor Ferrari. Agora era questão de tempo para Nelson Piquet comemorar a segunda vitória consecutiva, agora sem queimar o pé...


Mas, Martin Brundle estava disposto a estragar a festa do brasileiro, que estava muito lento na pista, sendo ultrapassado até pelo retardatário Prost. Quando chegaram na última curva, a diferença era de menos de 1s, que se manteve até eles cruzarem a linha de chegada. Piquet vencedor, com o show, Brundle, em 2º e Elio de Angelis completando o pódio. Quem fez grande prova foi Fabi, que terminou em 4º, enquanto Prost e Laffite completaram os pontuáveis


RESULTADOS:

  1. Nelson Piquet - Brabham BMW - 1:55:41.842 - 9pts
  2. Martin Brundle - Tyrrell Ford - 6pts*
  3. Elio de Angelis - Lotus Renault - +32.638s - 4pts
  4. Teodorico Fabi - Brabham BMW - +1:26.528s - 3pts
  5. Alain Prost - McLaren TAG-Porsche - +1:55.258 - 2pts
  6. Jacques Laffite - Williams Honda - +1 Volta - 1pt
  7. Michele Alboreto - Scuderia Ferrari - Motor - OUT
  8. Keke Rosberg - Williams Honda - Turbo - OUT
  9. Derek Warwick - Renault Elf - Caixa de Câmbio - OUT
  10. Stefan Bellof - Tyrrell Ford - Acidente - OUT*
  11. Patrick Tambay - Renault Elf - Transmissão - OUT
  12. Philippe Alliot - RAM Hart - Freios - OUT
  13. Niki Lauda - McLaren TAG-Porsche - Elétrico - OUT
  14. Nigel Mansell - Lotus Renault - Caixa de Câmbio - OUT
  15. Thierry Boutsen - Arrows BMW - Motor - OUT
  16. Andrea de Cesaris - Ligier Renault - Aquecimento - OUT
  17. Johnny Cecotto - Toleman Hart - Embreagem - OUT
  18. Eddie Cheever - Alfa Romeo - Motor - OUT
  19. Ayrton Senna - Toleman Hart - Acidente - OUT
  20. Riccardo Patrese - Alfa Romeo - Rodada - OUT
  21. François Hesnault - Ligier Renault - Acidente - OUT
  22. Piercarlo Ghinzani - Osella Alfa Romeo - Acidente - OUT
  23. René Arnoux - Scuderia Ferrari - Acidente - OUT
  24. Jonathan Palmer - RAM Hart - Pneu - OUT
  25. Manfred Winkelhock - ATS BMW - Motor - OUT
  26. Marc Surer - Arrows Ford - Colisão - OUT
  27. Huub Rothengatter - Spirit Ford - DNQ
Esses foram os pilotos que estavam inscritos para a corrida
Volta Mais Rápida: Derek Warwick - 1:46.221 - Volta 32


Curiosidades:
- 396º GP
- 12º Vitória de Nelson Piquet
- 1º Pódio de Teodorico Fabi**
- 1º Pódio de Martin Brundle*
- 34º Vitória da Brabham
- 100º GP da Renault
- 7º Vitória do Motor BMW
- 50º GP do Motor Honda
- 100º GP do Motor Renault


  • MELHOR PILOTO: Martin Brundle / Teodorico Fabi / Stefan Bellof
  • SORTUDO: Jacques Laffite
  • AZARADO: Eddie Cheever
  • SURPRESA: Jacques Laffite
Brundle e Bellof deram um show com suas Tyrrells de motor aspirado, se aproveitando da pista de rua e conseguindo um pódio, pena que o alemão encontrou o muro pelo caminho... Já Laffite teve sorte de terminar nos pontos, coisa surpreendente. Já Cheever, tinha tudo para conseguir um pódio, e quem sabe duelar pela vitória, mas o motor da Alfa...


Campeonato de Pilotos:
  1. Alain Prost - McLaren TAG-Porsche - 34,5pts
  2. Niki Lauda - McLaren TAG-Porsche - 24pts
  3. Elio de Angelis - Lotus Renault - 19,5pts
  4. Nelson Piquet - Brabham BMW - 18pts
  5. René Arnoux - Scuderia Ferrari - 16,5pts
  6. Derek Warwick - Renault Elf - 13pts
  7. Keke Rosberg - Williams Honda - 11pts
  8. Michele Alboreto - Scuderia Ferrari - 9pts
  9. Martin Brundle - Tyrrell Ford - 8pts
  10. Patrick Tambay - Renault Elf - 7pts
  11. Stefan Bellof - Tyrrell Ford - 5pts
  12. Nigel Mansell - Lotus Renault - 5pts
  13. Ayrton Senna - Toleman Hart - 4pts
  14. Eddie Cheever - Alfa Romeo - 3pts
  15. Riccardo Patrese - Alfa Romeo - 3pts
  16. Teodorico Fabi - Brabham BMW - 3pts
  17. Andrea de Cesaris - Ligier Renault - 2pts
  18. Thierry Boutsen - Arrows BMW - 1pt
  19. Jacques Laffite - Williams Honda - 1pt
poeticsofspeed.com

Campeonato de Construtores:

  1. Marlboro McLaren International - McLaren-TAG Porsche - MP4/2 - M - 58,5
  2. Scuderia Ferrari SpA SEFAC - Ferrari - 126C4 - G - 25,5pts
  3. John Player Team Lotus - Lotus Renault - 95T - G - 24,5pts
  4. MRD International - Brabham BMW - BT53 - M - 21pts
  5. Équipe Renault Elf - Renault - RE50 - M - 20pts
  6. Williams Grand Prix Engineering - Williams Honda - FW09 - G - 12pts
  7. Benetton Team Alfa Romeo - Alfa Romeo - 184T - G - 6pts
  8. Toleman Group Motorsport - Toleman Hart - TG184 - M - 4pts
  9. Ligier Loto - Ligier Renault - JS23 - M - 2pts
  10. Barclay Nordica Arrows BMW - Arrows BMW - A7 - G - 1pt
Imagens tiradas do Google Imagens - GPExperts.com.br - http://poeticsofspeed.com/