domingo, 31 de maio de 2015

Coluna Semanal 21# - Surpresas no Pódio - Parte 6


Chegamos á parte 6, numa incrível lista, que jamais pensei que alcançaria esses patamares, e olha que estamos apenas na década de 70, ainda há muita estrada para andarmos. Como vocês já sabem, todas essas surpresas foram escolhidas por mim, ou seja, é a minha opinião de ter sido surpreendido. Caso você se lembre de alguma, comente, e caso achar uma ótima surpresa, colocarei...

De Qualquer Maneira
Peter Gethin nunca foi um piloto de ponta, pelo contrário, conquistou apenas 11 pontos em toda sua carreira, sendo que 9 vieram de uma forma inacreditável. Correndo pela BRM, depois de perder a sua vaga na McLaren, o britânico se classificou na 11º colocação para o GP da Itália de 1971, que entraria na história. Logo a corrida começou a tomar forma, e quem estava liderando era uma surpresa, Peter se mantinha á frente, disputando com outros grande nomes como Peterson e Cevert. Na última curva, ele saiu melhor do que o sueco, e conquistou a vitória por pequenos 0,1s, um recorde.

O Último de Um Hermano Rodriguez

Ricardo já havia perdido a vida anos antes, agora o México tinha apenas um representante na categoria, e esse representante não deixava á desejar, e muito pelo contrário, sempre andava tão rápido quanto as Tyrrell e Lotus. Na temporada de 1971, o carro da BRM estava tão bom que vitórias poderiam vim caso a sorte ajudasse. Só coloquei essa pela sua importância para o México, que só viu um piloto de seu país no pódio depois de 41 anos. Largando em segundo, e terminando em segundo, Pedro Rodriguez conquistou seu último pódio na F-1.

O Melhor Piloto A Nunca Vencer Uma Corrida?

Chris Amon tem um recorde muito triste na F-1, ser o piloto que mais liderou voltas na categoria sem vencer sequer uma corrida. O neozelandês sem dúvida é um dos melhores pilotos a nunca vencer uma corrida na F-1, ao lado de gente como Andrea de Cesaris, Nick Heidfeld, Martin Brundle, Stefan Bellof e outros grandes nomes. Um pódio para ele sempre era o máximo que conseguia, os 11 sem dúvida seriam trocados por uma vitória... Na Matra, o piloto estava conseguindo alguns pontos, e esperava a sorte sorrir para ele, para conseguir um pódio. Depois de ser 3º na classificação, o GP da Espanha de 1971 viu Amon subir ao pódio pela primeira vez na sua nova equipe.

A Última Conquista de Siffert e o Pódio de Schenken

Um dos melhores suiços de sua geração, Jo Siffert tinha grandes chances de ir ao pódio na temporada de 1971, com um carro que já estava a beneficiar pilotos como Gethin e Rodriguez. No belo circuito austríaco, Jo conquistou a pole position, mais de 0.200s a frente de Jackie Stewart e sua Tyrrell. Na corrida, Siffert conquistou a vitória depois de liderar de ponta a ponta. Essa havia sido sua segunda e última vitória. Os holofotes também ficaram para o pódio do australiano Tim Schenken, da Brabham, que largou em 7º e terminou em 3º.

Já Pensou em Estrear Com Um Pódio?

Mark Donohue era um piloto norte americano, que competia na maior categoria de seu país, a que chamamos de F-Indy atualmente. A Penske comprou um chassis da McLaren, e colocou Donohue no GP do Canadá de 1971. Mark conseguiu largar em 8º no circuito de Mosport, e viu a maior parte dos pilotos a sua frente abandonarem ou terem problemas, com isso ele conquistou o 3º lugar, no único pódio de sua carreira.

Voando Nas Duas e Nas Quatro Rodas
A festa principal foi de Emerson, o primeiro brasileiro a conquistar o Mundo da F-1

Mike Hailwood é um dos poucos casos de pilotos que correram nas motos e nos carros, o mais famoso desses casos é de John Surtees, que foi campeão em ambos. Correndo pela Surtees, a equipe do próprio John, Hailwood alinhou-se na 9º colocação para o GP da Itália de 1972, que prometia ser mais uma vez emocionante. Com os problemas, nenhum dos pilotos que largaram na primeira fila pontuaram. Com isso ficaria mais fácil ver o britânico nos pontos, mas ele foi além, e buscou o 2º lugar, o seu primeiro pódio.

Mais Uma do Sueco Voador

Correndo mais uma temporada pela March em 1972, Ronnie Peterson já havia conquistado pontos no ano, e esperava ver os pódios aparecerem logo na segunda metade da época. Mas apenas uma vez o sueco conseguiu subir nos degraus, e essa vez foi em um templo do automobilismo, em Nordschleife. Depois de largar em 4º, Peterson conseguiu se manter na corrida durante todas as 14 voltas, e terminar na 3º colocação, seu primeiro e único pódio em 1972.

Amon Mais Uma Vez

Já havia se passado um ano de seu último pódio, e Chris Amon ainda buscava a sua primeira vitória com a Matra, que poderia vim no GP da França de 1972, já que sua pole era uma amostra de seu talento. Ele até tentou, mas o seu carro estava muito longe, tecnicamente, da Tyrrell e Lotus, e viu Stewart e Fittipaldi o ultrapassarem e terminaram em 1º e 2º. Pelo menos ele segurou Cevert, que perdeu a chance de disputar a vitória depois de bater com o novo carro nos treinos. Aquele foi o último pódio de Chris, que deixaria, definitivamente, a F-1 em 1976.

A Última da BRM

O carro da BRM em 1972 nem perto lembrava o vitorioso carro de 1971. Com isso, Jean-Pierre Beltoise sofreria mais uma vez para tentar conseguir pontos, quanto mais pódios. Para o GP de Mônaco, Beltoise se classificou na incrível 4º colocação, prometendo ter um belo desempenho á frente de outros monegascos e franceses. A chuva que caiu foi enorme, e incrivelmente Jean-Pierre conseguiu pular para primeiro na volta 1, e conseguiu manter a posição durante todas as 80 voltas. Sem dúvida foi um dos maiores shows de algum piloto, mas a marca da corrida foi dar ao francês sua única vitória e a última da BRM.

Show Com a Shadow 5
Mas cadê o Olivier?

Ontem eu avisei que os shows com a Shadow não haviam acabado, você deve ter até pensado que tinha, mas não acabou, e ainda não é agora que chegamos ao último "capitulo". Com a fraca Shadow, Jackie Olivier se classificou em 14º para o GP do Canadá de 1973, em Mosport. A corrida foi marcante, vimos o safety car pela primeira vez, um carro com o número 0, também pela primeira vez, e também Niki Lauda liderando a corrida. Mas quem foi verdadeiramente marcante não foi o austríaco, e sim Olvier, que conseguiu terminar na 3º colocação, conquistando seu último pódio.

O Primeiro de James

Ontem mostrei o último pódio do playboy britânico, e hoje chegamos ao pontos de vermos o primeiro pódio de Hunt, com um chassis da March, inscrito com a equipe Hesketh. Ele largou em 7º no GP da Holanda de 1973, que ficou mais marcado pela triste morte de Roger Williamson, um jovem e promissor piloto do Reino Unido. Mesmo com o acontecimento, a corrida continuou a todo vapor, e no final de 72 voltas, viu James Hunt no pódio, com o terceiro lugar.

O Segundo de James
Alegria não devia ter...

Ainda com um chassis da March, Hunt estava dando um show na temporada de 1973, que já havia visto uma morte, a de Williamson, no GP da Holanda que marcou o primeiro pódio de James, que conquistaria mais um TOP 3 em outra triste corrida, em que a Tyrrell se retirou depois de ver François Cevert morrer no sábado. Mesmo com essa tragédia, Hunt ainda fez uma grande prova e terminou em 2º, atrás apenas de Peterson.

Voando Com Uma Surtees

Na sua segunda temporada na F-1, José Carlos Pace sonhava alcançar um dos lugares entre os três primeiros. O carro da Surtees não era aquelas coisas em 1973, e os primeiros pontos só apareceram no GP da Alemanha. Na corrida seguinte, no belo Österreichring, Moco colocou-se na 8º colocação e fez uma grande corrida, ficando atrás apenas de Peterson e Stewart, ou seja, um terceiro lugar. Aquele foi o primeiro de 6 pódios da carreira de Pace...

Show Com a Shadow 6

Agora chegamos ao último "capitulo" do Show Com a Shadow, dessa vez no ano de 1973, novamente... o GP da Espanha foi realizado em Montjuïc, uma pista com segurança quase zero. George Follmer largou em 14º, e fez uma grande prova, superando Revson, Ickx, Regazzoni e Hulme, e contando com problemas e abandonos chegou na terceira colocação, posição em que terminou, conquistando seu único pódio e o primeiro da equipe que sempre teve belos carros...

Aqui acabo as surpresas do pódio dessa década de 1970. Espero que tenham gostado, e caso se lembre de algum, comente... Semana que vem veremos as surpresas da década de 1960.

Imagens tiradas do Google Imagens

2 comentários:

  1. Oh meu amigo, só um detalhe: a vitória de Pedro Rodriguez na Bélgica ocorreu em 1970, e não em 1971.
    Abs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. mas eu falei que ele foi ao pódio em 1971

      Excluir